Como fazer uma cortina simples (Segunda Parte)

Ganhei de aniversário um livro maravilho para quem trabalha com decoração, eventos, cenografia e afins, pois ele trata de diversos assuntos do dia a dia, e que podem encontrar aplicabilidade nessa área. O livro “Veja como se faz – 500 instruções para a vida, do cotidiano ao exótico” editora Sextante de Derek Fagerstrom, Lauren Smith e The Show me Team é um divertido guia de ações e resoluções de pequenos problemas. Segue a baixo imagens que achei que deveria sem anexadas ao post antigo das cortinas (clique para aumenta-las). Olhem como eles explicam bem o assunto de forma básica e direta graficamente.

PS:. Esse post não é jabá. E tenho dito

Reformulações 2

Tenho notado que os posts andam muito grandes, quero deixa-los mais curtos e concisos.
A partir dos próximos já irei seguir essa regra, usando uma imagem ou somente um vídeo explicando a temática do post.

Assim consigo trabalhar diversos temas,e postar com mais frequência, e no caso de haver alguma duvida, peço que as pessoas mandem-nas por comentários que abordarei em um post seguinte, abrindo assim a quentão.

Como fazer uma cortina simples

Já faz alguns dias que não posto, então hoje vou me aprofundar em algo bem útil.

Sempre chegamos naquele momento na organização de evento, que devemos criar pequenas cortinas para as portas, para que separemos ambientes, ou para que a luz de um outro local não interfira na projeção ou apresentação da sala.

Também quando precisamos de um fundo para um palco, mesa de bolo, ou local importante, e queremos tapar algum espelho ou objeto, ou item da construção que queremos esconder.

Hoje vou explicar passo a passo como fazer e pendurar uma cortina simples.

-Primeiro começamos com a compra do tecido, isso vai depender do efeito que você vai querer, se for para esconder a luz, uma lona de algodão ou um veludo, para uma decoração, um voil ou cetim. Mas o melhor tecido para um acortinado é sempre o que tiver maior largura, pois assim economizaremos com a quantidade a ser comprada, e dependendo do tecido ou local a ser instalado não vamos precisar costurar diversas tirar para conseguirmos a largura desejada, deixando um acabamento muito mais limpo, mas na maioria das vezes precisamos costurar. Nas lojas especializadas podemos encontrar lonas com até 3,20 metros, mas essas são bem grossa e nem sempre são as melhores.

Vou criar uma situação básica para entendermos isso e assim poderei seguir os próximos passos do processo.

Vamos supor que eu queira cobrir um espelho de 5 metros de largura e 3 metros de altura com um algodão cru, para uma projeção. Lembrando que a largura do algodão é 1,8 metros, e que teremos que ter um espaço de sobra para a costura, e também teremos que ter comprimento maior para a bainha superior e da barra; então gastaremos 3 tiras de 3,5 metros de comprimento, ficando com 25 centímetros para cada lado, para fazermos a bainha; e teremos sobre de 7 centímetros para cada lado da largura (Veja o desenho)
Para pendurarmos a cortina devemos ter ou um suporte para cortina já instalado, ou um trilho. Mas vamos supor que nesse caso não temo nada para pendura-la, então o que deveremos fazer é fixar um cano simples de ferro ou pvc na parede, criando um suporte substituto.

Caso a parede não possa ser furada, deverá ser construído um trainel, criando assim uma tapadeira (Entrarei nesse assunto em outro post!)
Na parte superior da cortina, faça furos com ilhos, como na imagem ao lado, fazendo com que o tecido não rasgue ou desfie, e que tenha um bom acabamento, e para pendurar, o aconselhável é o uso de cadarços chatos, para amarrar e desamarrar com firmeza e conseguindo rapidez para desmonte; fitas, como na imagem, para algo decorativo, caso não seja um projetor; braçadeiras de plástico, caso seja uma cortina que vá ser presa as pressas ou que ficará um tempo no local.

Se no seu caso, não for uma projeção, a cortina não precisará ter um peso na barra para ela ficar reta.

Mas caso precise, deixe as laterais na bainha da barra abertas, dos dois lados, assim você poderá enfiar um cano de PVC do tamanho da largura total da cortina, deixando ela bem reta.
Espero que essas dicas ajudem.

Caso alguma dúvida ficou, postem comentários, que responderei a todas as dúvidas!

PS: Olha também a segunda parte https://cenoagrafiadacena.wordpress.com/2010/12/21/como-fazer-uma-cortina-simples-segunda-parte/

Preparando um projeto de evento

Hoje, vou dar algumas dicas, que poderão ajudar nos primeiros passos de um projeto que podem ser tanto um ambientação de um espaço, quanto a idealização de uma decoração de uma festa.

1Prazo – O tempo é essencial, pois com ele poderemos saber a demanda de trabalho e o contingente de ajudantes e profissionáis a serem contratados.

2O Evento – Devemos saber qual projeto será, um casamento, uma festa infantil, uma palestra, um noivado…

3Espaço – Antes de começarmos a pensar nas possibilidades, devemos conhecer o espaço, saber a área, o pé direito ( a altura do espaço) se há locais para serem pendurados objetos no teto ou nas paredes, os pontos de luz, por onde os clientes ou convidados entrarão, os locais principais, por exemplo, onde ficará a mesa do bolo, a mesa de frios, ou o palco onde será a palestra.

4Pessoas-Você deve saber quantas pessoas irão ao evento, se o espaço suportará esse contingente, como será organizado o espaço; com mesas ou somente cadeiras, futons no chão, pufes… as possibilidade de organização irão interferir e muito no seu processo criativo.

5Orçamento– Saber antes de tudo quanto você poderá gastar no projeto, e o que o cliente vai querer a ser construído no espaço, e assim você saberá a quantidade de mão de obra. Assim você poderá calcular e passar para o cliente o seu orçamento geral

Com esses 5 primeiros passos básicos, já poderemos começar a criar nosso projeto.

Decoração chinesa e japonesa – parte1

Ontem fui a uma comemoração de aniversário de um grande amigo, ele marcou em restaurante de culinária chinesa e japonesa, mas o nome do restaurante era “Via China” na Tijuca – RJ, pois a especialidade deles é a cozinha chinesa.

Ao entrar percebi que mesmo o nome não batia com a decoração que era inteiramente japonesa. A decoração era linda, o espaço muito bem organizado com mesas de ardósia, e cadeiras pretas, com formas bem bonitas, as paredes eram totalmente cobertas com adesivações com desenhos de cenas do teatro Kabuki, o teatro japonês, as imagens eram de ótima qualidade, e mostravam os desenhos antigos de grande rostos dos atores japoneses.

Nota: O teatro Kabuki surgiu no século XVII, e era permitido usar dispositivos cenográficos tais como elevadores para fazer subir e descer o piso do palco, e em ocasiões fazer o palco girar, o configurando como um palco giratório.

Entre algumas adesivação nas paredes, haviam algumas faixas com bambu e no centro do bambu, nichos de gesso que entravam na parede pintada de vermelho, que era iluminada por pontos de luz que pareciam vir de baixo dos bambus que cobriam a parede do teto ao chão formando uma grande moldura para os nichos. Iso sim pode ser consideada uma decoração chinesa moderna. Mas já com alguam influência ocidental.

Reformulações

Eu ando sentindo que o blog anda muito no estilo blog aula, e não é isso que quero com ele, quero passar os problemas do dia a dia da profissão do cenógrafo e passar dicas de cenografia e técnicas de arte e artesanato que possam ser aplicadas tanto na decoração da casa, de uma festa evento ou até mesmo em pequenas apresentações ou decoração de espaços ou vitrines….. Passar da técnica ou a dica para o dia a dia….

Amanhã já estarei reformulando o blog.

Fiquei ligados