Primeiras imagens dos cenários de “O Hobbit”

A pouco mais de um mês Peter Jackson, o já aclamado diretor da trilogia O Senhor dos anéis, gravou um video blog com imagens exclusivas dos cenários e figurinos do filme do livro homônimo “O Hobbit -ou lá e de volta outra vez” Agora que as gravações começaram, é esperar até 14 de Dezembro do ano que vêm para a primeira parte, e 13 de Dezembro de 2013 para a segunda parte. Fiquem com o video.

Anúncios

Quando a arte faz o filme

Muitas vezes, vamos ao cinema ou alugamos um filme já esperando uma estética ou uso da câmera como extensão do olhar do diretor. Como uma identidade visual de cada filme ou característica de um diretor em especial. Nesse tipo de filme, se tirarmos sua estética, perdemos sua alma. Logo abaixo 10 imagens, umas mais óbvias e outras nem tanto, será que vocês conseguem descobrir a primeira olhadela (sem parar pra pensar)?

Créditos do post para Mauro Simões, de uma idéia maravilhosa de seu album do orkut.

)]} Caixa preta e caixa branca {[(

[[[]]] Vou entrar hoje em alguns termos técnicos gerais.
Os cenários, em geral, podem ser englobados dentro de dois grandes parâmetros de estrutura e aplicabilidade; a caixa preta e a branca.

{Caixa preta}

O nome caixa preta vêm do palco italiano do teatro (abordarei os tipos de palco nas próximas postagens), onde o público entra em um espaço de forma frontal para o palco; o palco tradicional italiano se comporta como um gabinete, uma caixa preta, uma tela, tudo o que ocorre depois do pano da boca da cena é uma outra realidade. Daí que vêm a ideia da quarta parede, como se o público fosse capaz de ver através daquela parede do cômodo ou do local em que a cena está acontecendo, nada da realidade interfere diretamente, e a peça fica “ilesa ao público”, e os personagens se comportam como se não houvessem pessoas assistindo as suas vidas e situações.
Não somente o palco italiano que é considerado caixa preta, o palco em formato arena ou elizabetano, ou os outros inúmeros podem ser considerados como formato de caixa preta, o que vai importar é se a regra da quarta parede vai se manter ou se vai ser quebrada.
Com isso, podemos assimilar que o cinema e a televisão também são até certo ponto caixas pretas. Como no caso da telenovela, ou o seriado; mas em outros casos a televisão é na verdade uma caixa branca, e tenta cada vez mais interagir com a audiência.

)Caixa branca(

O cenário no formato caixa branca se transforma ou não, pois o que começou a interferir a  princípio foi a interpretação dos atores, mas com o passar do tempo o cenário vai encontrando suas formas de interagir com público, o uso de de palcos que passem entre a plateia, o cenário que vai até o público, o teatro de rua com cenário sobre carroças, são alguns exemplos de cenários em formato de caixa branca.
A caixa branca fez com que a cenografia se transforma se, não só no entretenimento mas também na moda, na publicidade, no comércio, em eventos.
Vitrines de lojas, decorações de festas, cenografia de desfile de moda, o Carnaval e os programas de plateia na TV são alguns tipos de cenografia de caixa branca.
Hoje a cenografia de caixa branca chega ao ponto em que o espectador, consumidor ou cliente não sabe onde começa a arquitetura real e o cenário, as coisas se confundem, e essa interação com o público, de onde vêm a ideia da caixa branca é alcançada na sua totalidade.

[[[ Ilustrações – Jean-Léon Gérôme ]]]